jump to navigation

UM YOGUE NO TERREIRO 11/04/2011

Posted by Frater A'.' H'.' RAK in Religiões.
Tags: , ,
trackback

Sri Sevananda Swami visita a Umbanda.

Por Edmundo Pellizari

Fonte: Jornal de Umbanda Sagrada – Outubro de 2008

 

 

O grande mestre Sri Sevananda, mon­ge, yogue, químico, filósofo, iniciado em várias correntes eso­té­ricas do Oriente e do Oci­dente, funda­dor da avan­çada Sarva Yoga e alma iluminada, percorreu centenas de quilômetros em um trailer no Brasil.

 

Tudo começou em julho de 1952, quando o mestre visitou inúmeras ci­dades e vilarejos, sempre levando a boa palavra e o carinho de um coração sem fronteiras.

 

No seu interessante livro “Yo que caminé por el mundo”, impresso na Argentina em 1953 (em segunda e esgotada edição), ele des­creve suas inúmeras aventuras e as atividades das principais sociedades, fraternidades e ordens espiritualistas e iniciáticas.

 

Num interessante capítulo inti­tulado “Umbanda!”, ele conta sua  ex­periência em alguns terreiros da Um­banda brasileira.

 

A palavra deste Guru é inestimável, sobretudo hoje em dia, onde a inqui­sição religiosa, filha da ignorância e da violência, volta a atacar os agrupa­men­tos umban­distas.   Aqui traduzo e transcrevo algumas obser­vações do mestre:

 

 

– “Em outra reunião…, estavam várias pessoas, quando cheguei com um discípulo que me rogou para assistir e dar minha opinião. Estava falando, por um médium, porém de forma com­pletamente natural e consciente…, um caboclo.

O ensinamento que dava era inte­ressan­te, a linguagem pitoresca, bem ao nível dos ouvintes, e muitas analogias usa­das deno­ta­vam extremo engenho e gran­de capacidade de manejar as aplicações do ensinamento. Sen­tado em meu canto, esperava algo espe­cial, intuído.  Entre os presentes eu não era conhecido, e nin­guém podia julgar, por minha aparência, meu modo de ser ou pensar.

Chegando até mim, o caboclo me saudou em sua linguagem típica, me observou com lar­gueza, levan­tando-se en­tão de um modo altivo, quase hierá­tico e com tom, pro­núncia e lin­guagem total­mente diferentes…, me disse que iria virar a casaca e pas­sou a comentar minhas atividades de modo no­tável por vários mo­tivos:

 

1) Falava ma­ne­jan­do o simbolis­mo astroló­gico, ca­balístico, mágico e místico, com mui no­tável cabedal de co­nhe­cimento e pre­cisão de expres­são.

2) Colocava em des­­­­­taque, de forma muito discreta, po­rém com alusões claras, to­das as minhas ativida­des visíveis e ocultas, assim como me deu a solução de alguns assuntos que me preo­cupa­vam e a indicação futura de acon­te­cimentos, que se cumpriram depois ao pé da letra”.

 

 

E o grande Guru ainda acrescenta:

 

 

“Considero, pois, um dever, dizer o se­guin­te para a orientação de meus discípulos e do leitor em geral:

O movimento de Umbanda é com toda evi­dência uma nova operação de co­mando do In­visível, que vendo no Brasil a grande influên­cia africana…, acharam que se fazia necessá­rio para todo um setor da popula­ção, algo mais mágico, mais animado e menos religioso que o espiritismo…”.

 

E Sri Sevananda Swami termina de modo magistral:

 

“Recomendamos, isto sim, olhar sem­pre com atenção o que fazem seus adeptos, pois existe muito que apren­der…”.

 

O Swami não era espírita e nem en­tusiasta do espiritis­mo. Ele não conhecia a Umbanda ou as tradições afro-brasileiras.

Porém, como mestre verdadeiro que era, além de um homem de mente aber­ta, tranquila e profun­da­mente lúcida, deu mostras de autêntica to­lerância, diálogo inter-religioso e amor incondicional.  Ati­tu­de muito diversa de certos pastores, mi­nistros religiosos e leigos atuais.

Com certeza, estas pes­soas também perseguiriam este querido mestre, difa­mando sua fé, apedre­jando seu trailer, interrom­­pen­do suas palestras e aulas de yoga!

Triste sinal dos tem­pos.

 

Que Sri Sevananda Swami, agora mergu­lhado nos doces braços de Zambi, nos ajude a levantar bem alto o estandarte da paz e da justiça.

 

OM E SARAVÁ!

 

Texto Publicado no Jornal de Umbanda Sagrada em Outubro de 2008.

 

Frater A`.`H`.`RAK: amados, estou refletindo sobre esta mensagem ja se vão alguns dias… Eu a recebi em uma rede de estudos que em outra oportunidade apresentarei a vocês. Esse texto não é original, nem de minha autoria nem de quem o enviou, estando este que escreve buscando o jornal que o publicou e o livro de onde foi extraido. Ai esta uma magnifica apresentação de como o princípio da VERDADE divina esta presente em absolutamente todas as manifestações de fé. Para aqueles que atacam a Umbanda, baseando entre outras coisas, um pre-conceito pelo linguajar utilizado, creio que o caso deixa bem claro que as palavras são modulações do poder original do Verbo. As palavras são dadas de forma que quem as ouça possa entender, e a mensagem contida é a mesma sem sofrer alterações em seu teor, pois esta adequada ao nível de assimilação do alvo.

Naquele tópico, ainda alguém citou algo que muito gosto de usar, e portanto mesmo antes de um post sobre mantras, vou compartilhar. Há uma síntese poderosíssima que demonstrará a qualquer o poder de Umbanda. Que estejam bem relaxados, de preferência em contato com a naturea, ou mesmo em seus lares, e experimentem repetir mantricamente esta fórmula: OM SARAVATARA AUMBHANDAM. E poderõa sentir no profundo do ser humano a essência da Umbanda…

 

Fé.’.

Anúncios

Comentários»

1. n - 11/04/2011

obrigada!:)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: